sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Nova temporada de "Baleizão, o valor da memória"



A nova temporada de BALEIZÃO,o valor da memória está aí! Estão previstos espetáculos para Lisboa no Museu do Dinheiro (19, 20 e 21 de outubro - Gratuito) e no Festival Ar com presença em Tábua e Mira… No final do espectáculo haverá uma conversa entre os dois artistas, Aldara Bizarro e Miguel Horta e o público presente, sobre as memórias convocadas no palco.
 Não me lembro quando é que se instalou a cotação do Baleizão lá em casa mas lembro-me muito bem da minha Mãe utilizar o Baleizão sempre que eu queria uma coisa que os meus pais não tinham possibilidade de comprar. Dizia-me assim: Sabes, isso não posso comprar porque custa muitos Baleizões. Às vezes, quando eu insistia, dizia-me a quantidade, 5, 10, 20, ou 30, conforme os casos. O Baleizão, que a minha mãe utilizava para cotar o valor das coisas impossíveis, era um gelado, de uma cervejaria com o mesmo nome, da cidade onde eu vivia, Luanda, em Angola. Custava 2$50!
 Esta é a carta que dá início ao exercício de memória e de celebração da vida, entre dois amigos, realizada através da troca de cartas, textos, desenhos e fotografias sobre as suas infâncias, vividas em países diferentes, na década de 70. No palco, convocam memórias das suas infâncias; uma vivida em Angola durante a guerra colonial; a outra em Lisboa, com uma forte marca do barlavento algarvio.
Concepção e direcção de Aldara Bizarro
Interpretação e co-criação de Miguel Horta e Aldara Bizarro
Coprodução do Museu do Dinheiro 2017.
Apoio da SMUP

Em circulação, disponível para Teatros, Museus, Bibliotecas (...)
Nota de 1 Baleizão (1B$) - A moeda única da Memória
Uma criação de Miguel Horta para o espectáculo "Baleizão, o valor da memória"

Sem comentários:

Enviar um comentário