segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Sofia Troni escreve sobre a Laredo Associação Cultural no jornal digital "Escritores.online"

Resistente e ecológica como a lapa, a Laredo Associação Cultural permanece na “zona entre marés” para promover as literacias e a cidadania através da educação não formal em museus, bibliotecas, prisões, bairros sociais e festivais literários.
Miguel Horta, presidente da Laredo Associação Cultural, conta que tentaram vários nomes para a associação até chegarem à palavra “laredo”: “Laredo tem uma definição um pouco lata. Laredo é a zona entre marés. É o limite máximo da maré cheia e o limite máximo da maré vazia. É uma expressão utilizada pelos pescadores do barlavento algarvio e dos Açores, no Faial e no Pico, que costumam dizer «esse laredo é bom para a lapa», que habitualmente é uma zona rochosa junto ao mar, uma zona onde os pescadores recolectores fazem o seu trabalho”. Por isso a lapa como símbolo da associação: “A lapa também, porque é super resistente. É um animal herbívoro, ecológico. Uma praia com lapas é uma praia ecologicamente equilibrada, com pouca poluição, porque a lapa é um bicho muito sensível, mas ao mesmo tempo extremamente resistente. E depois significa esta coisa da persistência das ideias… e tem também esta ligação ao mar que é um dos campos do nosso trabalho”.

Sem comentários:

Enviar um comentário