sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Caritas de Beja e "Meu Rosto Teu"


Um autorretrato à maneira de Amadeo de Souza Cardoso

Cristina Taquelim de volta do seu autorretrato

Belas soluções plásticas...

Há momentos em que suspiramos interiormente deixando escapar o desabafo: É isto mesmo que se deve fazer… Foi o que senti hoje á saída do museu Gulbenkian, quando o grupo da Caritas de Beja (Refeitório social) se dirigia às carinhas que os levariam de volta ao Alentejo. Foi uma semana de permanência no Programa Descobrir/Gulbenkian, com a oficina “Meu rosto Teu” e a visita “A minha paisagem” conduzida pela nossa colega Rosário Azevedo. Já conheço este grupo com quem tive o prazer e o espanto de trabalhar, criando escrita por ocasião da “Leitura Furiosa” na Biblioteca Municipal de Beja. Estivemos de volta das questões da identidade, convivendo com obras de arte moderna e contemporânea no Centro de Arte Moderna e mais tarde, no Museu Gulbenkian. Treinar o olhar, fazer pensar, refletir sobre nós… Houve todo o tempo do mundo: do museu à oficina onde experimentámos o autorretrato sobre diversos suportes, desafio para o autoconhecimento e história individual. Acho que as nossas ideias andam em paralelo com os objetivos traçados pelos técnicos da Caritas que participaram com entusiasmo na proposta. Surpreenderam-me com os auto retratos feitos à maneira de Amadeo de Souza Cardozo, que aqui reproduzimos, dando ideia do magnífico ambiente vivido no CAM. Entre o grupo visitante estava Cristina Taquelim, mediadora da leitura de mão cheia (e também narradora oral) que por certo transformará toda esta energia criativa em proposta de textos, histórias/espelho, outros retratos de gente que se quer inteira ao nosso lado para partilhar totalmente o mundo. Faz sentido esta parceria entre instituições, bibliotecas municipais e museus. Tenho a certeza que as propostas que o nosso grupo do Descobrir/NEE apresentou serão aproveitadas e desenvolvidas com estes visitantes especiais, que andam à procura de si próprios numa sociedade em mutação constante.

Sem comentários:

Enviar um comentário