terça-feira, 3 de março de 2015

Sussurrando poesia na Biblioteca Maria Lamas

Como tinha prometido, aqui ficam alguns dos versos feitos pelos “Sussurradores do Monte”, com ajuda da “Máquina da poesia”, no dia 18 de fevereiro na Biblioteca Maria Lamas (Monte da Caparica – Almada).
Bairro calmo é viagem de sonho
Férias sem praia são um sonho triste
Amor é tudo que quisermos, mas Amor é Amor!
A rua sonha corações espantados
A cama sonha sob a lua fria
À noite há Euforia no Bairro!
A chuva viaja pelo deserto profundo
Irmão de peito luta pelo direito!
A mulher gorda corre na praia bonita
O Pai toca com o coração intenso
A lua navega na constelação profunda
A flor navegou no jardim da felicidade

sábado, 28 de fevereiro de 2015

Eisen - Registo vídeo


Agora que preparo mais uma narração/performance para o Centro de Arte Moderna, em torno do pintor Arshile Gorky, deixo-vos aqui o registo vídeo de EISEN, feito por Matilde Correa Mendes durante as apresentações em Maio de 2014. Para saber mais sobre esta narração oral, procurar aqui. E, também, aqui.

O corpo das ideias na escola D.Fernando

O projeto “O corpo das ideias” continua no agrupamento de escolas “Monte da lua”, desta vez na Escola D. Fernando, na vila de Sintra. Realizámos o nosso trabalho na sala de ensino especial da escola, reunindo uma mão cheia de jovens alunos CEI.
 O Currículo Específico Individual (CEI), é uma medida educativa que prevê alterações significativas no currículo comum, impedindo os alunos a quem foi aplicado de prosseguir estudos de nível académico. É o nível de funcionalidade do aluno que determina o tipo de modificações a realizar no currículo e deverá dar resposta às necessidades mais específicas deste. Este tipo de currículos assenta numa perspetiva curricular funcional, e tem por objetivo facilitar o desenvolvimento de competências pessoais e sociais e de autonomia.(retirado de http://educacaoespecial9.webnode.pt/) Por sugestão de uma das alunas, surgiu uma grande centopeia feita com o corpo de todos que leva a passear no seu dorso a simpática coelha residente na sala. Agora será a vez dos alunos completarem a história. Estou curioso… Já o trabalho inclusivo com uma turma do 9º ano foi mais difícil de realizar com estes alunos adolescentes – a turma era grande demais para a sala, mas lá surgiu uma história gigante que pode ser vista num corredor da escola.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Canal Fundação Calouste Gulbenkian : assinatura do protocolo "Leituras em cadeia"

Leituras em cadeia

Estabelecimento Prisional de Tires acolhe projeto de promoção de leitura


Um protocolo de parceria entre o Ministério da Justiça, a Fundação Calouste Gulbenkian, a Delta Cafés e a Associação Cultural Laredo foi hoje assinado com o objetivo de desenvolver o projeto Leituras em Cadeia, que visa dinamizar e incentivar o gosto pela leitura no Estabelecimento Prisional de Tires. O projeto será desenvolvido até final de 2016.

No âmbito do projeto Leituras em Cadeia será realizada uma intervenção nas bibliotecas do Estabelecimento Prisional de Tires, com incidência na requalificação de bibliotecas existentes ou na criação de novas bibliotecas, com uma forte componente formativa, especificamente para os agentes locais e os reclusos responsáveis por serviços de biblioteca prisional. Estão previstas atividades de mediação de leitura e escrita, e os conteúdos digitais serão publicados e atualizados regularmente num sítio web e nas redes sociais adequadas, incluindo documentos orientadores para desenvolvimento de bibliotecas em comunidades prisionais.

A iniciativa partiu de Miguel Horta, que através da Associação Cultural Laredo apresentou à Fundação Gulbenkian este projeto que visa o desenvolvimento do gosto pela leitura em contexto prisional. “A população dos estabelecimentos prisionais portugueses revela níveis médios reduzidos de educação formal, o que torna ainda mais urgente o desenvolvimento de bibliotecas e do seu uso pleno por todos os reclusos”, lê-se na apresentação do projeto, onde também é sublinhada a “manifesta” carência de intervenção no campo da promoção e mediação da leitura em contexto prisional.

Com um encargo financeiro global no valor de 75 mil euros, partilhado entre a Fundação Calouste Gulbenkian, que desde sempre apoiou projetos visando a promoção da leitura em ambientes de risco, e a Delta Cafés, que exerce uma ação de mecenato social muito significativa em estabelecimentos prisionais, espera-se com o projeto Leituras em Cadeia uma melhoria dos indicadores de leitura na população do Estabelecimento Prisional de Tires.

Fonte:http://www.gulbenkian.pt/Institucional/pt/CanalFCG/Noticias/Noticia?a=5230

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

leituras em cadeia

Fotograma do filme do realizador Tiago Afonso - "Espaço/Tempo" (Novas memórias do cárcere)
Hoje foi um dia muito importante para mim e para a minha amiga e companheira de trabalho Maria José Vitorino: Foi assinado o protocolo que formaliza o nosso projeto Leituras em cadeia. Parceiros: Fundação Calouste Gulbenkian (Professor Eduardo Marçal Grilo), Delta Cafés (Comendador Rui Nabeiro), Ministério da Justiça (Ministra, Dra Paula Teixeira da Cruz), Laredo Associação Cultural (Miguel Horta). Aplicação em curso, até 2016, no Estabelecimento Prisional de TiresUm projeto-piloto de mediação leitora em contexto prisional, com uma forte componente de biblioteconomia e que assenta numa metodologia participativa, construindo uma ideia e um local com as residentes (reclusas), guardas prisionais, técnicos de tratamento prisional, docentes e comunidade envolvente. Em breve teremos um sítio na internet com informação detalhada; igualmente, aqui no meu blogue, irei dando notícias…

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Sussurradores do Monte!

 Está ficar um projeto bonito… Depois de uma passagem pelo Centro Paroquial Cristo Rei (Monte da Caparica – “bairro branco”) e de um encontro com os coordenadores das diferentes associações participantes na ideia (CP Cristo Rei, Geração Cool – SC Misericórdia de Almada e os Lifeshaker), teve lugar, no dia 18 de fevereiro, um encontro formativo onde aprendemos a trabalhar com a “Máquina da Poesia” e a construir Sussurradores. Um dinâmico grupo de jovens “dirigentes” participou na sessão que teve lugar na Biblioteca Municipal Maria Lamas (Raposo – Monte da Caparica), promotora desta intervenção comunitária. Esperemos que o efeito de contaminação se faça sentir nas 3 estruturas locais… O projeto “Sussurradores do Monte”( mediação leitora) pretende juntar um número significativo de jovens do concelho de Almada, em especial da freguesia do Monte da Caparica, em torno da Poesia. Partindo da “Máquina da poesia”, uma metodologia simples de Miguel Horta, os participantes envolvem-se na escrita de pequenos poemas destinados a serem partilhados com a comunidade através de um recurso simples: o Sussurrador. Esta ferramenta é, afinal, um tubo de cartão decorado a gosto pelo seu jovem proprietário, servindo para sussurrar os textos escritos ao ouvido de quem passa. No dia 27 de março, às 17.30h, faremos a nossa primeira intervenção na estação ferroviária da Fertagus no Pragal. Ahhh…também ficou com vontade de vir sussurrar? Pois então, basta ligar para o Luís Barradas da Biblioteca Municipal Maria Lamas (rede de Bibliotecas de Almada) para saber mais detalhes sobre este acontecimento. Venha daí sussurrar poesia!
Depois da escrita...a construção do sussurrador

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Mediar públicos com necessidades educativas especiais - 2015

(Foto: Margarida Rodrigues)
Arrancou este fim de semana mais um curso “Mediar públicos com necessidades educativas especiais” na Fundação Calouste Gulbenkian, promovido pelo programa Descobrir. Uma oportunidade de partilha das metodologias que a equipa das necessidades educativas especiais tem aplicado no seu trabalho em torno da oferta cultural da Fundação. O debate, a troca de ideias, marcou este primeiro dia dos trabalhos; o grupo de formandos e vivo e participativo. Para além de termos apresentado as nossas oficinas e debatido a problemática das acessibilidades, a sessão ficou marcada por um debate participado em torno da inclusão e das respostas sociais. O curso segue no próximo fim de semana, com um cariz mais prático, experimental, pretendendo-se que nasçam propostas de trabalho facilmente aplicáveis nos locais de trabalho dos formandos. Até sábado!
Experimentando o "jogo das expressões"
 (Foto: Margarida Rodrigues)