domingo, 4 de junho de 2017

"Eu sou Tu" no Casalinho (Bairro Leitor).

"Eu sou Tu": Um dos trabalhos finais
O educador que interage com as crianças do jardim-de-infância
deverá fazer o registo do que as crianças vão dizendo
Aos poucos a história vai surgindo sobre o papel 
Começando por aquecer as palavras e o corpo
Exemplificando o processo, antes da divisão em pequenos grupos
Sempre com o envolvimento de educadores, professora bibliotecária e auxiliares de educação
Belo ambiente!
No projeto Bairro Leitor, na Biblioteca do Bairro, tenho desenvolvido a oficina Eu sou Tu  ao longo de duas manhãs, com todas as crianças de jardim de Infância da escola básica Homero Serpa no Bairro do Casalinho da Ajuda. Um trabalho aturado, desenvolvido em colaboração com as Educadoras de Infância e auxiliares educativas da escola, coordenado por Lurdes Caria, professora bibliotecária do agrupamento de escolas Francisco Arruda. O trabalho decorreu de forma muito tranquila, com escuta, o que dá uma ideia da qualidade destes docentes do jardim-de-infância. A oficina Eu sou Tu (© 2003 – “Primaverarte” – Dedu – Sintra) trabalha a construção de narrativas a partir do corpo, num processo colaborativo a partir de grupos com 5 elementos ( 1 cabeça/tronco, 2 braços e duas pernas) que constituem um corpo único, personagem de uma grande história coletiva que acontece, à escala, desenhada e escrita sobre uma grande folha de papel de cenário. Num dos dias, ao chegar cedo à escola, fui abordado por um grupo de crianças do primeiro ciclo que protestaram pelo facto de só estar a trabalhar com os mais velhos (Pief) ou com os mais pequenos, e que não deveria ser assim… “Não achas, carequinha?” (tratam-me assim, quando não se lembram do meu nome). Claro está que numa das manhãs, lá voltei eu “às rimas” (poemas e lengalengas) e às histórias, com um grupo que estava sem professora, naquele dia. De referir ainda, que continuamos a desenvolver, junto dos jovens Pief, a "Máquina da poesia" e o trabalho com os sussurradores, logo a abrir a manhã, na nossa biblioteca. 
Por vezes o trabalho é a par com os alunos, como se fosse um jogo,
O mediador regista os textos dos alunos Pief sobre o quadro
 aqui com o mesmo valor de uma folha de papel.
Trabalhando com os alunos Pief, no interior da Biblioteca

Sem comentários:

Enviar um comentário