domingo, 25 de outubro de 2015

Folio!

Teresa Calçada apresentando a mesa da Tertúlia "Leitura, Literatura e Ciência"
Termina hoje o Folio, Festival Literário Internacional de Óbidos. Foram dias intensos num rodopio de autores, ilustradores, músicos, pedagogos, pensadores (…), toda uma trupe variada que se juntou em torno da literatura. A Laredo esteve presente com as suas duas curadoras, Maria José Vitorino e Teresa Calçada que puseram de pé o Folio Educa. Para além das oficinas e tertúlias apresentadas, fica o destaque para o Seminário Internacional “Educação, leitura e literatura” que juntou 160 Professores Bibliotecários e outros interessados que debateram temas atuais da leitura e das Bibliotecas Escolares. Sobrevivemos ao temporal do primeiro dia e, apesar das dificuldades, conseguimos levar por diante os trabalhos na grande tenda dos autores que abanava por todo o lado, ficando por vezes sem eletricidade. Segui com particular interesse as comunicações apresentadas por Inés Miret, pois é cada vez mais importante pensar na leitura em ambiente digital e qual o seu peso na oferta das bibliotecas, Sílvia Castrillón, que para além de falar das bibliotecas comunitárias (muito presentes na Colômbia) abordou o tema da biblioteca escolar como refúgio, proteção para uma leitura em profundidade. Nas sessões paralelas deste encontro, destaco a “Biblioteca inclusiva”, pois vem na linha das minhas últimas intervenções nos agrupamentos de escolas de Sintra; pude perceber um pouco melhor o trabalho da professora Maria João Filipe (Mafra) e invejar os recursos apresentados por Rui Miguel Carvalho no trabalho com alunos NEE em Viana do Castelo.  
Uma sessão muito engraçada e agitada da "Máquina da poesia"
na Livraria da Adega
Neste Folio Educa apresentei a “Máquina da poesia” a alunos do Complexo dos Arcos (Óbidos). Foram grupos demasiado grandes o que perturbou a qualidade final do trabalho mas lá se conseguiu por toda a gente a escrever poesia, colocando em cena uma segunda máquina da poesia, com a colaboração dos docentes presentes. Gostei muito de rever os animadores de Óbidos – estas sessões são importantes para que o grupo aprenda a trabalhar a ferramenta poética. Por fim, teve lugar a tertúlia “Leitura, Literatura e Ciência” com Cristina Carvalho, Carlos Fiolhais e Pedro Pombo. Quero agradecer à Bichao os magníficos bolinhos do Cadaval, com que presenteou os palestrantes.
Foi uma honra participar na exposição de homenagem a Maria Keil, “PIM!”, organizada por Mafalda Milhões: Muito bem montada, representativa e com um belo conjunto inicial de desenhos da Maria, que já conhecia, a que poderia chamar “o que os olhos alcançam quando desenho corpo a partir do meu ponto de vista”. Parabéns para a Curadora e para a Comissária!

 Apesar do trabalho, consegui assistir a uma conversa muito engraçada entre Mia Couto e José Eduardo Agualusa e emocionei-me com a peça Yerma pela Companhia João Garcia Miguel.

2 comentários:

  1. Também por lá passei, mas noutros dias e em diferentes espaços/momentos. Fui à Nova Ogiva, claro.
    Basta. PIM!
    Manuela Caeiro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda se poderá ver a exposição até 1 de novembro....

      Eliminar