terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

O corpo das ideias

Não é um grupo lindo? (foto de Flávia Rodrigues)
Teve início em janeiro, no agrupamento de escolas “Monte da lua” (Sintra) o projeto “O corpo das ideias”, dedicado a alunos com necessidades educativas especiais mas com uma vertente inclusiva, pretendendo envolver outros jovens e crianças nas atividades criativas propostas. Tiveram lugar duas sessões muito divertidas na EB de Colares e na Secundária Dona Maria (vila). Começámos com a oficina “Eu sou Tu”, um trabalho em torno do corpo, enquanto ferramenta criadora de histórias. Mais tarde, continuaremos o trabalho em torno da questão da identidade com uma oficina a que chamámos "cartão de cidadão"
Combinando a história em conjunto com jovens de outras turmas
Uma oficina onde se parte do corpo chegar à construção coletiva de histórias. Como misturar o meu corpo com o teu e com o dele? Claro, que só em grandes folhas de papel de cenário, recortando com um grafite grosso o nosso contorno, somando tudo no suporte. Poderemos acrescentar objetos, abrindo as portas a diferentes histórias. Tudo pode acontecer sobre uma grande folha de papel, de repente transformada no céu, no mar ou num cenário quotidiano onde as nossas personagens de repente ganham vida. Ao longo de 120 minutos (máximo) aprendemos a trabalhar em conjunto, em grupos de 5 elementos, talvez juntando tudo numa grande história final. (retirado da apresentação do projeto – Miguel Horta)
Na primeira sessão na escola secundária (hoje), que contou com a presença de alunas dos cursos de Animação sociocultural e do curso de Saúde, surgiu uma história romântica: uma rapaz apressado e atormentado por uma criaturinha perversa que pousou sobre o seu ombro, corre ao encontro de uma bela rapariga, nos misteriosos jardins da Quinta da Regaleira. Promete… Sempre quero ver como vão terminar a história…
Esta oficina, de nome “Eu sou tu”, transcende os objetivos específicos da unidade de ensino especial, sendo transversal a todas as idades e níveis de ensino, cruzando saberes e práticas artísticas. Todos os professores, alunos e assistentes operacionais que convivem diariamente com as nossas crianças especiais, são convidados a participar nesta ideia da qual se podem extrair aprendizagens mais vastas, facilmente relacionáveis com as matérias curriculares numa fruição própria da “Educação não formal”. A ideia que preside à nossa proposta é a integração lúdica, reunindo um conjunto de aprendizagens e conhecimentos simples, úteis para o curriculum normal. (in projeto “O corpo das ideias” 2014)

Por aqui seguirei dando notícias desta nova aventura pelas escolas de Sintra…

Sem comentários:

Enviar um comentário