segunda-feira, 1 de maio de 2017

BALEIZÃO, o valor da memória

Estreia. Sábado 6 de Maio. 11h. Museu do Dinheiro

"Não me lembro quando é que se instalou a cotação do Baleizão lá em casa, mas lembro-me muito bem da minha Mãe utilizar o Baleizão sempre que eu queria uma coisa que os meus pais não tinham possibilidade de comprar. Dizia-me assim: Sabes, isso não posso comprar porque é muito caro. E eu perguntava, caro, quanto? E ela dizia, muitos Baleizões! Às vezes, quando eu insistia, dizia-me a quantidade, 5, 10, 20, ou 30, conforme os casos.
O Baleizão, que a minha mãe utilizava para cotar o valor das coisas impossíveis, era um gelado de uma cervejaria com o mesmo nome, da cidade onde eu vivia. Luanda, em Angola. Custava 2$50!"

Esta é a carta que dá início ao exercício de memória e de celebração da vida, entre dois amigos, realizada através da troca de cartas, textos, desenhos e fotografias sobre as suas infâncias vividas há cerca de 50 anos.

 Aldara Bizarro | conceção e direção
Miguel Horta e Aldara Bizarro | cocriação

Museu do Dinheiro (Banco de Portugal)
Informações úteis
Largo de S. Julião, Lisboa (Baixa/Chiado)
Reservas
T. +351 213 213 240
info@museudodinheiro.pt
Entrada e participação gratuitas nas atividades

Sem comentários:

Enviar um comentário