quarta-feira, 12 de abril de 2017

Oficina Improvável inclusiva em Torres Vedras

As “oficinas improváveis” continuam a percorrer as Bibliotecas Escolares do Concelho de Torres Vedras, uma iniciativa da Biblioteca Municipal dedicada aos alunos com necessidades educativas especiais. A oficina de Abril teve lugar (de novo) no Agrupamento de Escolas Madeira Torres mas com um outro grupo de alunos. Uma realidade bem distinta do grupo anterior, que precisou de maior recolhimento, outras dinâmicas e outros livros. Trabalhar com o espectro do autismo requer uma abordagem específica mas que deverá apontar sempre para a inclusão. A sessão de 4 de abril foi completamente inclusiva! Tinha pensado fazer uma sessão tranquila na Biblioteca Escolar, mas era o último dia de aulas e as crianças andavam de um lado para o outro numa agitação própria já dos dias de férias – entravam na biblioteca para ver o que se passava ali… Acabei por propor que se fossem juntando ao grupo especial que ali estava já sentado. Não mudei muito o programa. Apresentei os livros que tinha preparado para os alunos especiais, apenas acrescentando umas quantas histórias disparatadas, pois a biblioteca tinha acabado de ser invadida por meninos e meninas de Jardim-de-infância que se juntaram a outros alunos de várias proveniências que já lá estavam... Foi uma festa! Muita risada… Reparei que os professores iam tomando notas dos livros mediados e participando em todas as brincadeiras propostas. Assim vale a pena... Foi por iniciativa de Goretti Cascalheira (obrigado, amiga!) que surgiram estas corajosas oficinas improváveis que têm funcionado, também, como laboratório, permitindo ir aferindo metodologias, selecionar livros e adequar a comunicação. O modelo está testado, podendo ser aplicado noutros concelhos do país, por iniciativa das bibliotecas locais. Agora é preciso chegar às famílias, batalhar pelo empréstimo domiciliário especializado e promover lugares inclusivos nos espaços de leitura pública.

Sem comentários:

Enviar um comentário