quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Leitura Bibliotecas Estabelecimentos Prisionais

Imagem de sessão de escrita criativa no EP Guimarães
(Guimarães Capital da Cultura)
Cá está o Curso da Laredo Associação Cultural
Leitura Bibliotecas Estabelecimentos Prisionais!

Registo de acreditação CCPFC/ACC­86703/16 
3 de dezembro e 5 de novembro
Local: Fundação Calouste Gulbenkian 
Formadores: Maria José Vitorino e Miguel Horta
Destinatários: Educadores de infância (há-os nas Prisões), Técnicos de Estabelecimentos Prisionais, Técnicos de Bibliotecas Públicas, Bibliotecários, Professores do Ensino Básico, Professores do Ensino Secundário e Mediadores Culturais
PROGRAMA
A população prisional em Portugal tem vindo a aumentar em número. Muitas escolas em todo o país desenvolvem ensino em prisões, escasseando as ofertas de formação para os professores envolvidos. Alguns centros de formação têm vindo a identificar esta necessidade, por estarem mais próximos de estabelecimentos prisionais, como, por exemplo, Lisboa, Cascais, Bragança, Évora, Porto, Faro e Ponta Delgada A Biblioteca prisional tem um papel muito importante na aprendizagem ao longo da vida, e pode ser um recurso valioso em estratégias lectivas, ao mesmo tempo que, com a biblioteca pública, constitui um parceiro a ter em conta pelas bibliotecas escolares. 
 Objectivos a atingir  
1. Atualizar informação sobre estabelecimentos prisionais, bibliotecas prisionais e escola em contexto prisional;
2.Sensibilizar para o valor educativo da mediação leitora, da promoção da leitura e das bibliotecas em contexto prisional, numa perspectiva inclusiva; 3.Promover estratégias educativas de cooperação interbibliotecas – biblioteca escolar, biblioteca pública, biblioteca prisional – sustentáveis quer da educação formal quer da aprendizagem ao longo da vida de reclusos/as; 
Conteúdos da acção 
Apresentação da ação ­ 1 hora 
Módulo 1. Estabelecimentos prisionais em Portugal, 2015. Serviços de leitura e biblioteca. Escola na prisão.­ 2 horas 
Módulo 2. Bibliotecas prisionais. Guidelines IFLA, 2005. Guidelines das Bibliotecas Escolares, 2015. ­ 3 horas 
Módulo 3. Leitura e mediação leitora em contexto prisional. ­ 8 horas. 
Módulo 4. Estratégias promotoras de leitura e literacia. ­ 10 horas 
Encerramento e Avaliação da ação de formação ­ 1 hora. 

Link:

Sem comentários:

Enviar um comentário