domingo, 6 de março de 2016

Alinhas ou desalinhas? Em torno da obra de Semke

Visita à exposição de Hein Semke 
com um grupo da associação Persona
Fotografia gentilmente cedida por Associação Persona
Confesso que conhecia muito mal a obra de Hein Semke, tão pouco sabia sobre a sua vida. Agora sinto-me conquistado pelas peças e pela longa vida do artista. Tenho a sensação de me ter cruzado com ele…talvez num concerto no Coliseu (Keith Jarrett?); o evidente contraste do casal atraiu o meu olhar. À mediada que desvendo a obra por força das visitas/oficina que venho efetuando a públicos com necessidades educativas especiais, vou deixando que a pintura de Semke entre em mim, por osmose. Através da visita para desenhar “Alinhas ou desalinhas? Amor nas entrelinhas” tentei passar um pouco da ideia que tenho sobre a dualidade entre a pintura e o amor, propondo, também, alguns exercícios em torno da “pintura sólida” (pastel de óleo) e uma brincadeira em torno da poesia com as “caixas da poesia” (a partir de “a máquina da poesia”, uma metodologia que uso habitualmente). E foi um grupo muito engraçado e interessado que participou na proposta no “dia dos namorados”. Gosto muito deste formato de visitas proposto pela Susana Gomes da Silva – aos poucos vamos conquistando o público. Obrigado a todos os participantes! Uma boa notícia para quem não conseguiu participar na visita para desenhar: repito a oficina no dia 29 de maio às 11h no Centro de Arte Moderna. Lá vos esperamos.
Um aspecto da vista para desenhar em torno da obra de Hein Semke.
Fotografia gentilmente cedida por Cláudia Freire

Sem comentários:

Enviar um comentário