quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Djunta Mon!



No dia em que se assinala o assassinato de Amílcar Cabral na Guiné Conacri, partilho aqui um registo vídeo da minha primeira incursão na dramaturgia com a peça “Retratinho de Amílcar Cabral” levado á cena pelo Teatro Mosca com o Tozé (moço da Cova da Moura) como Mika, o protagonista de uma história passada na mata da Guiné, junto à grande árvore do Polon (com Suzana Branco como encenadora e Braima Galissa tocando o seu maravilhoso Kora) - A minha forma de recordar Eduardo Pontes (no aniversário da sua morte) e também Nuno Teotónio Pereira, grande amigo do bairro, que hoje nos deixou. Nos kontinua djunta mon pa rekualificason di bairu i pa dan un volta redondu ness condison di vida de nos genti di Cova da Moura.

Sem comentários:

Enviar um comentário