sábado, 29 de agosto de 2015

Rio de Contos - Encontro de narração oral de Almada

Com pouco mais de um ano de existência, a Laredo Associação Cultural procura afirmar-se, discretamente, em iniciativas e ideias fiéis aos seus princípios de mediação cultural, por oficinas, formação, eventos e outras propostas, dos museus e bibliotecas até ao mar, passando pelas escolas e pelo campo das necessidades educativas especiais, onde a palavra, a cidadania, a leitura e o livro ganham sentido e nos desafiam a criar, a colaborar com outros, e a inovar, em projetos como “Leituras em cadeia” (parceria Fundação Calouste Gulbenkian/ Delta Cafés/ Ministério da Justiça-Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais),“FOLIO Educa” (Festival Literário Internacional de Óbidos), "Miríade de Histórias" (com a Fundação Serralves) entre outros.
Chegou agora o momento de vos anunciar a realização do primeiro Encontro de Narração Oral de Almada - Rio de Contos, promovido pela Câmara Municipal de Almada e pela nossa Associação) nos dia 26 e 27 de setembro na freguesia da Trafaria/Monte de Caparica (União de Freguesias de Caparica e Trafaria). Um encontro dirigido às populações desta zona do concelho de Almada, dando eco do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido na área da promoção da leitura pela Rede de Biblioteca de Almada e Junta de Freguesia (que inaugurou recentemente um espaço de leitura pública no coração da vila). Também um momento de convívio para todos aqueles que vêm seguindo com atenção o movimento de narração oral que se vem desenvolvendo pelo país; aqui fica o convite para os amigos de Lisboa para este Rio de Contos que se realiza às portas da capital.
Para além da participação dos narradores da Rede de Bibliotecas de Almada contaremos com a presença de António Fontinha, Cristina Taquelim, José Craveiro, Ana Sofia Paiva, Cláudia Sousa, Miguel Horta, Thomas Bakk e Paula Cusati. Como este é um encontro da palavra, teremos a presença de Raquel Lima, ilustre representante da “spoken word” (Slam poetry), apresentando alguns dos seus textos, marcando presença numa mesa redonda, em diálogo com António Fontinha e Cristina Taquelim. Podem vir até de barco e aproveitar para jantar ou almoçar num dos típicos restaurantes da Trafaria. Marquem nas vossas agendas!

Em breve disponibilizaremos o programa do Rio de Contos e mais informação sobre os protagonistas deste encontro.

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Na rota do cachalote branco

Onde está o pintor? Uma bela foto de Gonçalo Barriga (F. C. Gulbenkian)
Como passar o gosto pelo Mar, uma consciência oceânica, aos mais novos sem que seja enfadonha e escolarizada? Essa tem sido a nossa reflexão e a nossa prática no Programa Descobrir/Gulbenkian através das oficinas que juntam biólogos a artistas num resultado que se pode confirmar em “Em busca do peixe perdido”, “A grande invasão” e, mais recentemente com a oficina “Moby Dick” (em colaboração com a Escola de Mar). Mas estas abordagens mediadas (educação não formal) têm acontecido com regularidade ao longo do meu trabalho em museus e bibliotecas; como exemplo disto, a colaboração com o Museu Marítimo de Ílhavo ou, com Vera Alvelos, no CCI. A oficina Moby Dick vai repetir-se para a semana, num ritmo marcado pela sucessão de acontecimentos narrados na obra de Herman Melville. Uma boa oportunidade para as crianças que estão de férias aqui na capital. A bióloga/artista de serviço será a Ana Pêgo. Promete.
Inspirados pelo trabalho dos scrimshaw,
 os nossos pequenos artistas fizeram a sua versão dos dentes de cachalotes gravados
foto de Gonçalo Barriga (F C Gulbenkian)
Ana Pêgo. Foto Gonçalo Barriga (F C Gulbenkian)


sábado, 8 de agosto de 2015

Oficina Moby Dick

Rockwell Kent
Acaba de terminar a primeira oficina Moby Dick promovida pelo programa Descobrir/Gulbenkian em colaboração com a Escola de Mar: Cansados mas satisfeitos com o resultado… Eu sempre olhei com curiosidade para os cetáceos, basta lembrar o meu livro “Pinok e baleote” onde um menino crioulo faz amizade com um rocal comum. Mas os peixes sempre foram os meus animais de referência. A colaboração com a bióloga Ana Pêgo veio mudar bastante a minha visão sobre estas criaturas oceânicas, acrescentando horizontes à minha visão sobre o mar. Com esta oficina reencontrei-me com a obra de referência de Herman Melville. Lembro-me, há muito tempo, de uma tarde passada no antigo ateliê de Maria Keil, junto à casa dos meus pais, quando ela me mostrou umas gravuras fantásticas de  Rockwell Kent para a edição de 1930. Estávamos no princípio dos anos 80 e a visão destas gravuras, confirmou o percurso que vinha fazendo na Gravura (CGP/Lisboa). Volvidos estes anos todos, estou de volta a esta obra que me marcou (sempre acompanhado pelas magníficas e curiosas notas de rodapé de Alfredo Margarido, o tradutor).
Mas como por de pé uma oficina dedicada às crianças sobre estas fantásticas criaturas, os cetáceos, sem a escolarização a que têm estado sujeitos os diferentes temas da educação ambiental? Ainda por cima uma oficina de férias… Foi isto que se fez, com uma equipa formada por biólogas (Ana Pêgo, Vera Jordão e Cristina Brito), uma atriz (Catarina Requeijo) e um artista visual. Um objeto em forma de semana de férias para crianças, que juntou literatura, leitura, biologia e artes plásticas em torno da ideia urgente da defesa dos oceanos. Seguindo o fio da história, registando com desenho e escrita em diários de bordo, fomos conhecendo melhor os cetáceos na companhia de Ismael e Queequeg, a bordo do Pequod. Houve tempo para gravar uma espécie de scrimshaw e cantar ritmadamente a partir das vocalizações de orcas, baleias, cachalotes e golfinhos. Gostei particularmente do Hip Pop do Francisco (um dos pequenos participantes) que perguntava “o que é que os cachalotes comem?” Lulas! Claro.

Próxima expedição baleeira: 31 de agosto a 4 de setembro.