sexta-feira, 12 de junho de 2015

10x10: A Mentira contra ataca!

Quando começam a chegar ecos do nosso trabalho nas escolas, conferimos a certeza dos rumos. Digo isto a propósito de um email que recebi hoje da nossa querida professora Ana Pereira (Escola Secundária D. Dinis) dando-nos conta do trabalho desenvolvido pelos alunos do 10º na sequência das propostas criadas em conjunto no contexto do Projeto 10x10 (Descobrir/ Gulbenkian). Sinceramente, a professora Ana já multiplica por dez os seus recursos pedagógicos quando aborda a Biologia e a Geologia… A Mentira como ferramenta pedagógica continuou o seu caminho na direção da Biologia, depois de um estágio no Cosmos. Os alunos propuseram a criação de criaturas falsas e mergulharam corajosamente na construção científica da mentira. Há um certo fascínio em fazer de conta que somos os criadores do universo, nas suas mais estonteantes variedades… Mas atenção! É preciso provar os pontos de vista baseados em sólidas argumentações, sustentadas por equivalentes investigações. Assim se fazem as aprendizagens no laboratório de Biologia da professora Ana. Vejam só estas imagens de criaturas “verdadeiras” e atentem à caracterização exaustiva de uma delas… É o que acontece quando se junta um Professor e um artista num laboratório do ensino secundário… Parabéns alunos! Tenho saudades de sentir a vossa alegria na escola! Olhem que no 11º “é a doer”… Não se esqueçam de usar sempre a vossa criatividade. Obrigado Ana.
E que tal esta Serpente Africana, a Venomancer?
Bela ficha técnica!
Venomancer é uma espécie africana de serpentes. É a maior espécie africana de serpentes. Pode atingir 5 metros de comprimento e 50 Kg de peso. O seu tamanho invulgar é atribuído a gigantismo insular.
● Gigantismo insular – é um fenómeno biológico onde o tamanho dos animais isolados numa ilha aumenta dramaticamente ao longo de várias gerações. É uma forma de seleção natural em que tamanhos maiores fornecem uma vantagem de sobrevivência.Como resultado deste gigantismo, estas serpentes dominam o ecossistema onde vivem.
CIRCULAÇÃO:O Venomancer possui circulação fechada dupla incompleta. Ocorre uma mistura de sangue não oxigenado com sangue oxigenado nos ventrículos. Num sistema duplo incompleto, o sangue flui lentamente, logo para um ser como o Venomancer este tipo de circulação não é suficiente. Durante a evolução, o Venomancer conseguiu atravessar esse problema, pois desenvolveu um sistema de traqueias. O oxigénio entra nas aberturas entre as escamas e assim chega ás células. Estes dois sistemas juntos são muito suficientes e conseguem fornecer a quantidade de energia necessária ao metabolismo do Venomancer.
NERVO REGULAÇÃO:

O sistema nervoso é só composto por cérebro, não possui a espinal medula. Todo o metabolismo celular é controlado pelo complexo hipotálamo-hipófise. O cérebro é bastante desenvolvido. Em consequência, o ser realiza as suas atividades fisiológicas de forma rápida.
ALIMENTAÇAO:
O Venomancer possui um canal intestinal muito estreito pelo que ingere apenas alimentos líquidos. Essa limitação implica que em geral, tenha de recorrer à digestão externa (extracorporal intracelular) dos alimentos, provocando enzimaticamente liquefação antes da ingestão. O Venomancer possui um sistema de digestão complexo. A injeção de enzimas digestivas e veneno nas presas, provenientes daa glândulas especificas, localizadas na zona A. Para sugar os tecidos digeridos liquefeitos, deixando para trás a carcaça da presa. 
O estômago funciona como uma bomba que empurra o alimento no trato digestivo.
REPRODUÇÃO:Venomancer desenvolve os seus descendentes completamente dentro de si, nutrindo-se através de uma placenta e um saco amniótico. A retenção de ovos e os partos ao vivo são normalmente associados a climas, sendo que a retenção dos descendentes dentro da fêmea permite-lhe controlar as suas temperaturas com maior eficácia do que se estes se encontrassem no exterior.
TERMORREGULAÇÃO:O Venomancer é um animal de sangue frio, ou seja, para manter as suas funções fisiológicas e para realizar o metabolismo, utiliza fontes externas de calor. Desta forma, as temperaturas corporais do Venomancer sofrem constantemente influência do ambiente. Embora seja muito dependente das temperaturas exteriores, também consegue regular as suas temperaturas corporais de forma bastante significante. Nas condições de hipotermia, o animal lança para o sangue as enzimas tóxicas, que são produzidas por um órgão responsável pela reprodução de tóxicos. Esta enzima ao reagir com os glóbulos vermelhos torna-os resistentes às temperaturas baixas, o que fornece uma vantagem de sobrevivência.
HABILIDADES:O Venomancer não vê bem à noite, isto dificulta a caça noturna, mas o Venomancer possui adaptações cerebrais que através de impulsos nervosos consegue detetar a radiação infravermelha emitida por todas as espécies existentes. Ao detetar esta radiação, o Venomancer localiza a presa e caça-a. 

Sem comentários:

Enviar um comentário