sábado, 20 de abril de 2013

Partiu o homem que me ensinou a pescar



(O meu Tio partiu)

 Agora sou legado
aquele que fica na praia
olhando a barca
que se aparta
para o outro lado
do tempo

 Poisou
sobre o meu rosto
a poalha da memória
uma carícia…
não vou querer esquecer

 Também um dia
tomarei lugar
nessa barca
de maré certa
Sei…
Então pescaremos
grandes peixes
luminosos
sob a claridade
das galáxias

 E o universo
será límpido
na serena luz
de todos
 os corpos celestes

2 comentários:

  1. Um singelo contributo para a memória de quem gostamos!
    Bem haja pela tua disponibilidade. Um forte abraço. Carlos

    ResponderEliminar