quinta-feira, 24 de março de 2011

Semana da leitura em Penedono

Pelas estradas fora, o ronronar do meu carro que mais parece um carrinho da Lego, vencendo quilómetros até ao meu próximo objectivoEstranha forma de vida, diz um determinado fado e prossigo este meu destino país fora: Ora uma biblioteca escolar ou um museu, assumindo o papel de educador que esperam de mim naquele momento. Já me  chamaram caixeiro-viajante da cultura ou hortaliça voadora… Mas tenho sempre este prazer de encontrar num lugar, jovens que desconheço, esperando de mim a novidade, algo que lampeje nas suas vidas.
Foto: Carlos Silva
 Estou em Penedono! O velho castelo está lá em cima vigiando os soutos e as gralhas esvoaçam pelas ameias com seu grasnar rouco. Lugar mágico portador de memórias insuspeitas do meu passado. Amanhã, terei na minha frente adolescentes descrentes da leitura, agitados: exactamente como eu fui, assim desinteressado pelos dias e estonteado pelo acontecer. Antes de fazer, vou olhar e ver, talvez como João dos Santos que aconselhava a observar com tempo e concentração produtiva as crianças brincando no pátio de uma escola. São mais crescidos estes jovens de barba despontada e raparigas envaidecidas pelas formas que despontam. Têm códigos de sobrevivência estranhos numa sociedade que não entendem. Levarei um mar de palavras comigo esperando que seja um Tsunami invadindo cabeças desprevenidas; talvez, quando derem pela inundação de poemas já estejam irremediavelmente alagados de Futuro…

2 comentários:

  1. Objetivo, fiel à realidade..., poético...
    Gostei muito!
    Também acredito que um "mar de palavras" pode ser maremoto para o Futuro...
    (O carrinho de Lego não se pode desmoronar!...)

    ResponderEliminar
  2. Olá! Antes da minha partida para a Argentina ainda irei a Viana do castelo trabalhar com dois grupos de alunos CEF...

    ResponderEliminar