segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Encomendas de Natal

Uma família Romena...
Outra família...no elevador.
Ao longo destes últimos anos tenho desenhado inúmeras actividades para famílias em diferentes contextos, isto porque acho este núcleo, nas diferentes composições que apresenta na sociedade actual, o lugar ideal para novas aquisições culturais a par das outras que os pais transmitem, afirmando “ser só intuição e bom senso”. A parafernália de meios lúdicos áudio visuais, analógicos ou virtuais não preenche na totalidade o espaço de comunicação humana, tão importante para uma sociedade saudável que opera sobre si mesma profundas mutações em direcção ao futuro. Desta forma, elegemos a Biblioteca Pública como espaço de encontro das famílias, descoberta e fruição da colecção que dispomos, propondo actividades que acrescentem outro compromisso para além do utilizador, possuidor de Cartão de leitor municipal. Citando Rui Miguel Costa (bibliotecário-BLX), “o melhor da nossa colecção são os utilizadores porque dão vida ao corpo total da biblioteca… afinal a colecção é um ser vivo. É importante saber comunicá-la ao outro, o leitor”. Foi neste sentido que surgiu a oficina “Encomendas de Natal” que reuniu algumas famílias em volta de embalagens de correio verde (sem limite de peso). A ideia base era enviar uma encomenda, feita na biblioteca, para um amigo ou familiar que estivesse muito longe da Biblioteca do Feijó, local onde se deu este convívio. E nessas encomendas, uma espécie de contentores de afectos, poderiam caber poemas, desenhos, prendas, conchas recordando o nosso mar, fotografias, e objectos tridimensionais…houve quem enviasse flores secas para uma morada no Alentejo. Entre os destinos dessas cartas/encomendas estava uma cidade da Roménia, outra de Santiago do Cacém e ainda outra em Oliveirinha do Conde na Beira Alta…
Desarrumámos a biblioteca, vasculhando estantes, à procura de poemas para enviar e, de cola e tesoura na mão fizemos árvores de Natal a par de outros objectos curiosos. Ainda escolhemos um local da Biblioteca para nos deixarmos fotografar e colocámos no envelope a foto impressa. Fiquei muito comovido quando uma família Romena traduziu um poema meu na sua língua materna, tendo a Mãe escrito um poema aos dias passados na biblioteca, em versão bilingue. Assim se celebrou o Natal entre livros na Biblioteca José Saramago no Feijó (Almada).

Sem comentários:

Enviar um comentário